O que acontece com o corpo quando dormimos menos de oito horas?

Reportagem de Fernando Cymbaluk  Do UOL, em São Paulo
  • Getty Images
Nervos à flor da pele falta de atenção podem ser sinais de dívida. E quem está cobrando é o seu sono. É verdade que uma única noite mal dormida pode ser recuperada na noite seguinte. O problema é quando isso não ocorre e as horas a menos de sono vão se acumulando.
O resultado da falta do descanso necessário para o nosso corpo é uma série de problemas de saúde. Alguns efeitos são rapidamente notados, como o estresse. A falta de sono produz consequências, muitas delas graves, em todo nosso organismo.
O grande problema é privação crônica de sono, que se estende por dias, meses e anos. Estudos mostram que problemas físicos, mentais e emocionais podem ocorrer em médio e longo prazo."
Luciano Ribeiro, neurologista e presidente da Associação Brasileira do Sono
Quem acorda cedo, vai dormir tarde e espreme o tempo de sono no período que resta antes do despertador tocar acaba em dívida com o travesseiro --o nome dado para isso é restrição de sono. Quem mais sofre são os trabalhadores noturnos, que possuem o que é chamado de privação de sono.
Dormir é um comportamento fundamental para sobrevivência. Isso porque nosso corpo funciona de acordo com os ritmos circadianos, regulados pelos momentos de vigília e de sono. É o nosso relógio biológico. Quando começa a escurecer, a temperatura do nosso corpo baixa, e a redução da luminosidade induz a produção de melatonina, hormônio que prepara nosso sono. 
Existem evidências de que a diminuição da quantidade de sono eleva o risco de aumento de pressão arterial, que pode ocasionar infarto agudo do miocárdio, além de outras doenças."
Geraldo Lorenzi Filho, diretor do Laboratório do Sono do Incor
Getty Images
Nosso relógio biológico precisa no escuro da noite para funcionar. A vida na cidade, com os atrativos noturnos e o tempo gasto nos delocamentos atrapalham nosso sono
Varar a madrugada e acordar tarde – o famoso "trocar o dia pela noite" – também bagunça nosso relógio biológico. Isso porque o sono durante o dia não possui a qualidade do sono da noite. Assim, não conseguimos o tempo suficiente para o descanso do corpo promovido pelo repouso e para a faxina da mente feita pelos sonhos.
"As pessoas acham que não precisam dormir, e não dão valor ao sono como dão a outras coisas, como aos exercícios físicos", diz Cláudia Moreno, professora da Faculdade de Saúde Pública da USP.
Getty Images
A luz do celular bloqueia a produção da melatonina, hormônio que nos faz dormir, retardando o início do sono

Quantas horas por noite?

"As pesquisas indicam que dormir menos do que 5 h em média aumenta as chances de doenças cardiovasculares", afirma Lorenzi. Segundo ele, o efeito da falta de sono em um ataque cardíaco não é imediato.
Contudo, é grande a frequência de problemas cardíacos que surgem quando a pessoa esta passando por período de noites mal dormidas. Um recente estudo feito na Alemanha mostrou que a privação de sono sobrecarrega o coração
A necessidade de sono varia com a idade e de pessoa para pessoa. Bebês e adolescentes precisam dormir bem mais do que adultos. E a regra de um mínimo de 8 horas de sono não é universal.
Em média, a quantidade de sono ideal seria por volta de 7 horas. 
"Algumas pessoas se sentem bem com 6 horas de sono. Acordam sem sonolência, bem-dispostas, não sentem sono durante o dia", diz Moreno. Mas se não é esse seu caso, é porque deveria gastar mais algumas horinhas na cama.
Getty Images
A quantidade necessária de sono para você é a que te permite acordar bem e estar bem disposto durante o dia
É possível saber se estamos quites com nossos travesseiros verificando sintomas imediatos da falta de sono. Cochilar com bastante facilidade quando se está lendo, assistindo à TV, em reuniões ou no trânsito indicam nosso grau de sonolência. O Instituto do Sono possui um teste on-line em que você pode verificar se precisa dormir mais.
Getty Images
A falta de sono está associada ao ganho de peso e ao diabetes

Dor de cabeça, cansaço e estresse são os problemas imediatos

As consequências mais agudas e imediatas da falta de sono incluem mau humor e estresse.
"Quem dorme pouco fica mais nervoso", diz Lorenzi. Ele explica que isso ocorre porque o sistema nervoso simpático, associado à descarga de adrenalina e ao estresse, acaba mais ativo que o parassimpático, que promove o relaxamento. "A pessoa também pode sofrer com dores de cabeça, cansaço ao longo do dia, sonolência em horário que deveria estar acordada e atenta", diz Moreno. Aí que mora o risco de consequências mais graves da noite mal dormida. "Se a pessoa opera uma máquina, pode causar um acidente", diz a especialista.
Getty Images
Além de sonolência em diferentes momentos do dia, a restrição de sono provoca mal humor e estresse

Problemas cardiovasculares, obesidade, envelhecimento são efeitos 

Quem não dorme o necessário costuma ter mais resfriados e gripes ao longo do ano. É o efeito da redução da imunidade, que faz com que as pessoas fiquem mais suscetíveis a contrair doenças. Problemas gastrointestinais também são males de quem dorme pouco. "Sono é importante para muitas funções do nosso organismo, praticamente todas", diz Ribeiro.
A falta de sono também está associada ao ganho de peso, segundo Lorenzi. "Quanto mais privada de sono a pessoa é, maior a chance de sofrer de obesidade", diz ele. O ganho de peso deve-se a alterações nos ciclos hormonais e ao fato de nos alimentarmos de maneira pior. 
Estudos também mostram que a falta de sono aumenta o apetite e a resistência à insulina, estando associado ao diabetes. Devido à influência do sono no sistema endócrino, o déficit crônico é fator de risco associado a alguns tipos de câncer, como o de mama e de próstata, diz Ribeiro.
Getty Images
Falta de sono aumenta a pressão sanguínea e sobrecarrega o coração, elevando o risco de infarto

É possível ficar em dia com o sono; saiba como pagar sua dívida

De acordo com os especialistas, nada melhor do que dormir para recuperar a energia do corpo e da mente. "Já que somos sociedade privada de sono, cochilar pode ser uma boa ideia", diz Lorenzi.
Segundo o cardiologista, não existe estudo que mostra que cochilo reduz problemas cardiovasculares, mas os efeitos imediatos de uma noite mal dormida podem ser sanados com uma soneca. 
Para Moreno, uma forma de compensar a restrição de sono ao longo da semana é dormindo sem culpa no fim de semana.
Muitas pessoas acham que perdem tempo dormindo, mas é importante compensar no fim de semana o sono perdido. Permita-se dormir quando pode dormir" 
Cláudia Moreno, professora da Faculdade de Saúde Pública da USP
Um exemplo de descuido é ver até mesmo o lazer como mais importante que o momento de sono. "Quem acha que não precisa dormir está correndo o risco de ter problemas crônicos no futuro", completa.

Com células-tronco, 12 crianças com catarata recuperam a visão

Agência Estado - Dois grupos internacionais de pesquisadores desenvolveram uma nova técnica cirúrgica para o tratamento de cataratas com o uso de células-tronco. O procedimento foi aplicado experimentalmente em 12 crianças com catarata congênita, fazendo com que elas recuperassem a visão.


Considerada a principal causa de cegueira no mundo, a catarata compromete a transparência do cristalino - parte do olho que funciona como uma lente -, tornando a visão borrada. Atualmente, a cirurgia de catarata consiste na remoção do cristalino e sua substituição por uma lente artificial intraocular.

Com a nova técnica, os cientistas mostraram que é possível remover o cristalino opaco preservando determinadas células-tronco. Isso permite que as células do cristalino se regenerem, dispensando a instalação da lente artificial.

Os dois estudos foram publicados simultaneamente nesta quarta-feira, 9, na revista científica Nature. Em um deles, os cientistas demonstraram o método, com a regeneração bem-sucedida do cristalino, em coelhos, em macacos e em 12 crianças com catarata.

3 Passos Para Diminuir o Diabetes Naturalmente

O problema é que quando eu falo sobre “Alimentação” e sobre “Exercícios Físicos”, é como se eu estivesse falando sobre como solucionar um problema de matemática, de tão confuso que esse conceito é para a maioria das pessoas.

Eu insisto em dizer que “é possível controlar o diabetes naturalmente através da alimentação e da pratica de exercícios físicos”.

A ideia de controlar o diabetes naturalmente parece muito boa, mas quando você não intende exatamente o que fazer para conseguir esse resultado você acaba me perguntando:

COMO DIMINUIR O DIABETES NATURALMENTE?

Eu tenho um amigo diabético no qual expliquei o conceito de como controlar o diabetes a ele na esperança de que ele colocasse tudo que eu disse em pratica e conseguisse os melhores resultados possíveis.
Porém, no momento em que esse meu amigo foi para sua casa e começou a colocar em pratica tudo o que eu havia o ensinado na tentativa de “diminuir o diabetes”, era como se ele tivesse feito exatamente o contrário de tudo que eu falei.
Ele tentou seguir uma “dieta para diabéticos”, mas em pouco tempo ele acabou desistindo e voltando para o bom e velho “arroz, feijão, bife e batata frita”.
Isso porque ele não sabia que para diminuir o diabetes não é necessário deixar de preparar receitas saborosas, muito pelo contrario é fundamental que você prepare receitas saborosas e que você tenha prazer em comer. (Mas você deve comer com moderação e com receitas para diabéticos)
E infelizmente isso acontece com muitos de vocês…

VOCÊ ACABA PENSANDO:

“Eu vou começar uma dieta hoje e vou conseguir diminuir o diabetes” e
**Passa dois dias** – você vê toda a sua família comendo arroz, feijão, bife e batata frita e você logo pensa: “Ahhh, eu não consigo. Eu gosto de me alimentar bem não vou mais fazer dieta”
Poxa, assim fica difícil de conseguir resultados satisfatórios.
E o maior problema é que após essas dietas você acaba comendo para compensar todos os dias que ficou “sofrendo” com a dieta. E isso não é nada bom não é mesmo?

exercicios fisicos
(Foto: Reprodução) Exercícios Fisicos

ÁS VEZES EU PRATICO EXERCÍCIOS FÍSICOS

Se você quer não só apenas diminuir o diabetes, mas manter uma vida saudável você precisa praticar exercícios físicos diariamente e não só as vezes. Não importa se você gosta ou não de fazer exercícios, pois no começo é assim mesmo é um pouco chato, mas depois que você se acostuma você ate sente falta acredita? Já imaginou você sentindo falta e querendo praticar algum tipo de exercício? É, pois acredite por que foi exatamente isso que aconteceu comigo. Eu por trabalhar com internet passava o dia todo em frente ao computador e vivia uma vida um pouco sedentária e apesar dos meus vinte e poucos anos eu vivia indo ao medico foi quando o medico recomendou que eu fizesse caminhada todos os dias… Eu comecei meio que desanimado e hoje quando não vou por que estou muito ocupado fico ate sentindo falta. Acredita?

receitas saudaveis
(Foto: Reprodução) Receitas Saudaveis

PREPARANDO RECEITAS SABOROSAS PARA DIABÉTICOS

Praticar de exercícios físicos todos os dias é fundamental, mas infelizmente os exercícios sozinhos não são suficientes para diminuir o diabetes ate por que não adianta praticar exercícios e se alimentar mal não é verdade? É a mesma coisa que querer engordar comendo apenas salada. Não tem como!
O segredo para diminuir o diabetes e juntar a pratica de exercícios físicos com refeições saudáveis e o método 75/25 que você vai aprender mais adiante… O grande problema é que é muito difícil de encontrar receitas especiais para diabéticos não é verdade? É eu sei exatamente o que você esta passando afinal conheço varias pessoas que sofrem com diabetes e foi justamente para ajudar essas pessoas que eu decidi criar o livro 50 receitas para diabéticos que nada mais é do que um livro de receitas especiais para diabéticos onde você vai encontrar receitas que vão do café da manhã ate o jantar e o principal são receitas extremamente saborosas e fáceis de fazer.
Agora você não tem mais desculpa para não se alimentar corretamente sabe por que? Nesse livro eu ensino não só receitas de saladas e sucos como receitas de lasanha e ate brigadeiro é mole? Esta surpreso? Você não sabia que existe receita de brigadeiro especial para diabéticos? Definitivamente você deveria experimentar, pois é uma delicia!
Mas vamos falar sobre o livro depois agora eu quero te explicar como funciona o método 75/25 que aliado a pratica de exercícios e as receitas para diabéticos vai ajudar você a diminuir o diabetes de uma vez por todas.

salada e proteinas
(Foto: Reprodução) Método 75/25

O QUE É O MÉTODO 75/25

Esse método é muito simples, fácil de aplicar e você vai ficar surpreso com os resultados. Então vamos lá!
O que é o método 75/25? A ideia do método 75/25 é preencher 75% do seu prato com salada, verduras e legumes e preencher 25% do seu prato com alguma coisa que você goste muito de comer por exemplo, um carboidrato ( Arroz, Macarrão etc…) ou com uma proteína (Carne etc…).
E você deve estar pensando… Aaah, mas se eu colocar 75% de salada, verduras e legumes no meu prato eu vou acabar de comer e logo em seguida vou ficar com fome novamente… E você esta completamente errado, pois antes de escrever esse artigo eu mesmo testei essa técnica é vou falar uma coisa pra você… – Sabe aquele sono e aquele peso no estoma apos as refeições? Isso simplesmente desaparece e não, você não vai ficar com fome logo em seguida justamente por que as verduras, os legumes e os vegetais são ricos em fibras e as fibras além de auxiliar no sistema digestivo dão uma sensação de saciedade.
Lembrando que esse método pode ser utilizado não só no almoço e jantar, mas também no café da manhã já experimentou substituir o bom e velho pão com café por uma fruta? Faça isso e veja os resultados!

COLOCANDO TUDO EM PRATICA

Agora que você já sabe como funciona você precisa colocar tudo em pratica e daqui a alguns dias voltar aqui no site e deixar um comentário dizendo o quando você conseguiu diminuir a sua diabetes seguindo esses passos. Mas antes vamos ver se você realmente intendeu como funciona:
Primeiro: Aprender Receitas Saudáveis Para Diabéticos;
Segundo: Colocar o Método 75/25 em pratica no seu dia a dia; (Seja no café da manhã, almoço ou jantar)
Terceiro: Praticar exercícios físicos constantemente.

Se você seguir esses passos tenho certeza que você vai conseguir diminuir o diabetes de modo significativo e o melhor naturalmente.

APRENDA 50 RECEITAS PARA DIABÉTICOS

Se você quer aprender receitas especiais para diabéticos que você pode preparar tanto no dia a dia quanto naquele final de semana especial com a família. Então você não pode deixar de conhecer o livro 50 receitas para diabéticos que apesar de ter sido lançado a pouquíssimo tempo já possui milhares de downloads. Isso por que o livro é totalmente digital, ou seja, não tem custo de envio e você recebe o link para download diretamente no seu email após a confirmação do pagamento. Não é fantástico? Mas calma… Por que se você gostou do livro vai adorar o que eu tenho pra te dizer… Além do livro 50 receitas para diabéticos você ainda recebe o livro 20 Sobremesas Para Diabéticos de bônus totalmente grátis!
E-book
Isso sem falar que você tem 30 dias para testar as receitas e se por qualquer motivo você não fique 100% satisfeito você pode solicitar o seu pequeno investimento de volta. Isso que eu chamo de confiar na qualidade de um produto! Rs.
Se você ficou interessado em saber mais informações acesse o site oficial:www.ReceitasParaDiabeticos.com
Mas por questões financeiras e pessoais eu não posso garantir que esse preço promocional ficará disponível por muito tempo. Então se você quer aprender as melhores receitas para diabéticos clique aqui!

Consumo de açúcar precisa ser reduzido pela metade, dizem especialistas

Por isso, o Comitê Científico Consultivo de Nutrição, do Reino Unido, aconselhou o governo britânico a orientar a redução, pela metade, da atual ingestão diária de açúcar, informou a BBC. O governo disse que usará essa recomendação para desenvolver sua estratégia nacional sobre obesidade infantil, que deverá ser divulgada no final do ano.
— A evidência é gritante: muito açúcar é prejudicial para a saúde e todos nós precisamos fazer cortes — afirmou à agência britânica Ian Macdonald, presidente do grupo de trabalho do comitê. — A ligação clara e consistente entre o excesso de açúcar e condições como obesidade e diabetes tipo 2 são um alerta para repensarmos nossa dieta.
As diretrizes estão em linha com as propostas da Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com especialistas, o consumo de 5% das calorias diárias em açúcar é equivalente a 19g ou cinco cubos para crianças de 4 a 6 anos; 24g ou seis cubos para crianças de 7 a 10 anos; ou sete cubos para as acima de 11 anos.
Bebidas adocicadas, como refrigerantes e sucos industrializados, cereais, produtos de confeitaria e açúcar de mesa (para adoçar bebidas). Uma única lata de refrigerante contém nove colheres de açúcar.
Fonte: Portal O Globo

Bebida alcoólica corta o efeito dos analgésicos? Veja mitos e verdades

Tratar dores de cabeça e musculares com analgésicos é uma prática comum, uma vez que para adquirir os do tipo não narcótico (dipirona, paracetamol e ácido acetilsalicílico) não é preciso ter receita, mas os médicos alertam para os perigos da ingestão descontrolada destes medicamentos, que pode causar doenças e até matar.

Analgésicos podem causar lesões no fígado e rins 
Segundo especialistas ouvidos pelo UOL, tomar analgésicos constantemente pode causar lesões no fígado e nos rins, além do risco de provocar gastrite, úlcera ou mesmo uma hepatite medicamentosa. “Todo mundo generaliza que grávidas podem tomar paracetamol à vontade. Mas nenhuma pessoa de qualquer idade deve usar analgésicos de forma regular”, diz o neurologista Abouch Krymchantowski, diretor do Centro de Avaliação e Tratamento da Dor de Cabeça do Rio de Janeiro.
Algumas pessoas acreditam que as bebidas alcoólicas cortam o efeito dos medicamentos, no entanto o álcool não interfere na ação dos remédios. O que ocorre é que, por ter um efeito diurético, o álcool faz o organismo excretar mais rapidamente os analgésicos, interferindo na duração da ação desses fármacos.
Outro mito sobre a combinação de bebidas alcoólicas e analgésicos é que a mistura causaria um efeito semelhante ao uso de entorpecentes. “O álcool tem uma potente ação sobre o nosso sistema nervoso. A ingestão de bebidas alcoólicas altera a percepção do indivíduo a vários estímulos, entre eles o estímulo doloroso. Assim, ocorre uma falsa impressão de potencialização do efeito dos analgésicos”, afirma o médico anestesiologista Erick Curi, diretor administrativo da Sociedade Brasileira de Anestesiologia.
A cafeína, um estimulante do sistema nervoso, está presente em diversos analgésicos por contribuir para a melhora das dores de cabeça, mas a ingestão dos medicamentos não é recomendada com uma xícara de café. “O excesso de cafeína no organismo pode provocar taquicardia e até uma piora da dor”, afirma a neurologista Carla Jevoux, membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia..
Segundo a neurologista, o uso de analgésicos para tratar dores de cabeça constantes pode torná-las ainda piores. A médica explica que o aumento dessas substâncias faz com que o corpo fique mais vulnerável aos estímulos que provocam dores, como o abuso de luminosidade ou a falta de sono. Como resultado, o paciente pode adquirir uma doença chamada “cefaleia por excesso de medicação”, diz a médica.

Bebê de 10 meses coloca óculos e consegue ver pais pela primeira vez

Fofura da menina americana contagiou a internet. Família mora em Ohio, nos Estados Unidos

A pequena Piper, uma bebê de Ohio que em seus 10 meses de vida ainda não tinha visto os pais com clareza, viralizou na internet. A mãe, Jéssica Sinclair, postou um vídeo em que coloca óculos, pela primeira vez, na menina. A reação de Piper é única. Imediatamente, ela para o que estava fazendo e associa as vozes dos pais as suas imagens.

Segundo Jéssica, foi durante uma consulta regular ao pediatra que ela descobriu que a filha tem astigmatismo. "Uma semana depois de descobrirmos a doença, pegamos os óculos e ela provou por um segundo rápido no escritório do doutor, para se certificar se o tamanho estava correto. Então nós decidimos sair para comer, e essa foi a sua reação dela ao ver os nossos rostos pela primeira vez”, disse a mãe.

Jéssica ainda disse que gostaria de usar o sucesso das imagens para espalhar a consciência sobre a importância da saúde dos olhos dos bebês. O vídeo já tem mais de 18 milhões de visualizações e 274 mil compartilhamentos no Facebook.

Gripe, resfriado ou alergia: saiba identificar os sintomas

 por Mariana Amorim (colaboradora)
As temperaturas começam a cair e pronto… Tosse, coriza e febre. Ficou doente? Descubra a diferença entre as principais enfermidades do inverno e aprenda como evitá-las
Você saiu de casa correndo, logo cedo, para trabalhar, pegou uma blusa qualquer e pronto… Esfriou mais do que o previsto! Você pode até culpar a mulher do tempo da televisão. Mas é preciso mais do que se agasalhar bem nos dias frios para escapar das principais enfermidades do inverno: resfriado, gripe e alergias. Você já deve conhecer pelo menos uma delas não é mesmo? O aumento dessas doenças acontece por uma equação simples: baixas temperaturas + tempo seco + poluição elevada (típica nesse período). Esse combo faz com que as pessoas busquem ambientes fechados para se protegerem do frio, o que favorece a proliferação dos sintomas.
Para ajudar você a enfrentar a temporada sem incômodos, respondemos as principais dúvidas sobre gripe, resfriado e alergias:
1. Qual a diferença entre gripe e resfriado?
Resfriado: contagioso durante os primeiros 3 dias, é mais leve, dura menos tempo e não costuma causar febre, exceto em crianças. Os principais sintomas são coriza, tosse seca, espirros, dor na garganta e indisposição, e costuma durar de 5 a 7 dias, porém alguns sintomas podem perdurar por duas semanas. “Dificilmente evolui para um quadro mais grave”, diz Horácio Cardoso Salles, pneumologista e gerente da área de Medicina Ambulatorial do Seconci-SP (Serviço Social da Construção).
Gripe: causa febre, normalmente acima de 38ºC, principalmente nas crianças e deixa a pessoa prostrada, com dor de cabeça, dores pelo corpo, mal estar e perda o apetite. Pode durar duas semanas, mas o período de contágio, em geral, perdura por 1 a 2 dias após o final da febre. É causada pelo vírus Influenza e pode evoluir para pneumonia. “Em qualquer um dos casos, a hidratação é muito importante, já que a água contribui para fluidificar as secreções e tem função expectorante”, recomenda Salles.
2. Como evitar gripes e resfriados?
O resfriado e a gripe são causados por vírus altamente contagiosos. “Cultivar hábitos simples de higiene, como lavar as mãos com frequência e usar álcool-gel, evitar ambientes com pouca circulação de ar e muita concentração de pessoas são atitudes eficientes para a prevenção de ambas”, garante o especialista. Do mesmo modo, é importante evitar o contato próximo com enfermos, mantendo uma distância de pelo menos dois metros. A vacina, no caso da gripe, é a melhor forma de prevenção.
3. Muitos dizem que nunca tiveram gripe e depois da vacina começaram a ter frequentemente. Isso pode acontecer?
De acordo com Salles, trata-se de um mito. Aproximadamente 10% dos subtipos do vírus Influenza não são cobertos pelas vacinas, por isso alguns pacientes, mesmo sendo imunizados, podem pegar gripe. “É comum as pessoas apresentarem resfriados e acabarem confundindo com gripe”, explica.
4. Quais os principais problemas alérgicos que surgem durante o inverno?
São as doenças como amidalite, asma, bronquite, faringite, meningite e sinusite, além das alergias de pele, chamadas de dermatite tópica, que ocorrem com muito mais frequência devido ao tempo seco.
5. Quais os principais agentes causadores de alergias no inverno?
Os ácaros (presentes no pó ou poeira) e os pelos e penas de animais são os principais causadores do problema. Ao entrarem no sistema respiratório ou em contato com os olhos ou outra mucosa podem desencadear a hipersensibilidade. O pneumologista recomenda evitar tapetes e cortinas em casa, além de utilizar panos úmidos para a limpeza dos ambientes, uma vez que vassoura e espanador levantam pó. Outra dica é lavar as roupas guardadas há muito tempo antes de colocá-las em uso.

Fonte : Revista MdeMulher

Os direitos dos portadores de doenças graves e deficiências

Todo mundo conhece ou irá conhecer alguém acometido por doença grave ou alguma deficiência. Nem todo mundo sabe, porém, que é possível recorrer aos órgãos municipais, estaduais ou mesmo federais para requerer benefícios previstos na legislação. Os benefícios vão da isenção de tributos como Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o Imposto de Renda ao desconto na energia elétrica e ainda o Amparo Social à pessoa com deficiência.
Os Planos de Benefícios da Previdência Social dispostos no artigo 151 da Lei 8.213/91 dispõem de uma lista de doenças consideradas graves tais como tuberculose ativa, câncer, doença de Parkinson, Aids, paralisia irreversível ou incapacitante, espondiloartrose anquilosante, hanseníase, entre outras. Pessoas com essas doenças fazem jus à isenção do Imposto de Renda.
Para portadores de deficiência física, visual, mental, severa ou profunda, ou autista, ainda que menores de 18 anos, é possível obter isenção de IPI para adquirir automóvel de passageiros ou veículo misto, de fabricação nacional, classificado na posição 87.03 da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (Tipi).
Também utilizado para a aquisição de automóveis de passageiros, a isenção do IOF é prevista para pessoas com deficiência física atestada pelo Departamento de Trânsito do Estado onde residirem em caráter permanente, cujo laudo de perícia médica especifique o tipo de defeito físico e a total incapacidade do requerente para dirigir automóveis convencionais e a habilitação do requerente para dirigir veículo com adaptações especiais, descritas no referido laudo.
Outros dois benefícios são destinados a quem tenha deficiência incapacitante – para a vida independente e para o trabalho – e a portador de doença, que dependa do uso contínuo de equipamento com alto consumo de energia elétrica, sendo, respectivamente, o Amparo Social à Pessoa Portadora de Deficiência e Desconto na Conta de Energia Elétrica.
O primeiro é prestado independente de contribuição ao INSS, no valor de um salário mínimo desde que a renda familiar mensal do beneficiário seja inferior a ¼ de salário mínimo (per capita). O segundo caso é cabível às famílias incluídas no Cadastro Único de Programas Sociais com renda mensal total de até três salários mínimos, o porcentual de desconto irá variar de acordo com três faixas de consumo estipuladas. Para consumo de até 30kwh, o desconto será 65%, entre 31kwh e 100kwh, 40% e o consumo entre 101kwh e 220 kwh terá 10% de desconto.
Outros três benefícios podem ser obtidos junto a órgãos federais como o saque do FGTS e do PIS, Acréscimo de 25% na Aposentadoria por Invalidez e a Quitação da Casa Própria. A Isenção de ICMS e de IPVA deve ser requerida nos órgãos estaduais e a Isenção da Tarifa no Transporte Público será pleiteada nos municipais.
Cada benefício irá atender diferentes doenças e deficiências e devem ser observadas as especificidades da legislação específica de cada estado e município com relação aos benefícios destinados a pessoas com doenças graves ou com deficiência. A informação, nesses casos, é crucial para melhorar a qualidade de vida e exercer direitos que são assegurados por lei.
* Gilberto de Jesus da Rocha Bento Jr é advogado-titular do Bento Jr Advogados e membro do Centro de indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) – gilberto.bento@bentojradvogados.com.br.
Fonte: Portal Estadão

HMC realiza captação de coração inédita no Vale do Aço

Além da captação de coração pela
primeira vez na região, a equipe no
Hospital Márcio Cunha realizou ainda a
 retirada de fígado, rins e córneas, enviados
 para Belo Horizonte
O Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga (MG), realizou pela primeira vez na região do Vale do Aço uma captação de coração de um doador falecido para ser transplantado em outro paciente. O trabalho inédito foi realizado na última semana por profissionais que integram a Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do próprio HMC em conjunto com a equipe do Hospital Felício Rocho, de Belo Horizonte. Além do coração, levado para capital mineira, transplantado no mesmo dia e dando vida nova a um homem de 28 anos que sofria de Doença de Chagas, os profissionais captaram ainda fígado, rins e córneas, que ajudarão a outras pessoas.
 
“Isso ratifica não apenas a assertividade das campanhas de conscientização que a Fundação promove para doação de órgãos junto à comunidade, mas, principalmente, as condições clínicas, técnicas e tecnológicas que o Hospital Márcio Cunha possui hoje para dar o diagnóstico de morte encefálica e possibilitar tais atendimentos de alta complexidade, integrando-o à rede do MG Transplantes”, ressalta André Fonseca, urologista e médico da equipe de captação e transplantes do HMC.
 
Hoje, o Márcio Cunha, que atende a clientes da Usisaúde, convênios e do Sistema Único de Saúde (SUS), mantém a disposição de suas equipes métodos como arteriografia cerebral e eletroencefalograma para confirmar este diagnóstico, que auxiliam a avaliação do médico neurologista. A corrida pela vida com a doação de órgãos ganhou ainda aliados importantes nos últimos anos no hospital. Destaques para a criação do Leito de Apoio à Vida – exclusivo para pacientes com morte encefálica; para a maior capacitação da equipe da CIHDOTT, que hoje conta com médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos; e para a inauguração do Heliponto, que agiliza não apenas a captação e o envio de órgãos para outros hospitais por meio de helicópteros, mas também, serve para o acolhimento de urgência a pacientes e profissionais trazidos de outros hospitais e até diretamente de acidentes nas rodovias.
 
“Vemos isso como uma parceria. Dá para contar, tanto em Belo Horizonte quanto nas demais regiões do estado, as poucas equipes capacitadas e preparadas para esse tipo de procedimentos como esta. O Márcio Cunha é um hospital estruturado, organizado e o trabalho foi excelente”, elogia Ricardo Perelló, cirurgião cardiovascular do Hospital Felício Rocho que participou da captação inédita de coração no HMC.
 
Gesto que salva vidas
 
Para pacientes de Belo Horizonte receberem ‘novos’ coração, rins, fígado e córneas captados a 250 km de distância e vislumbrarem vida nova daqui em diante, foi preciso, antes de tudo, o gesto nobre de uma família em Ipatinga: autorizar a doação de órgãos de um parente que acabara de falecer. Vítima de traumatismo crânio-encefálico após um acidente de trânsito, o paciente recebeu toda a assistência necessária para a melhora das condições de saúde. Apesar dos esforços terapêuticos de toda equipe, não resistiu e teve confirmado o diagnóstico de morte encefálica (parada completa e irreversível de todas as funções do cérebro).
 
É aí que entra em cena o importante trabalho de conscientização da CIHDOTT, principalmente, em casos como este. “O processo de acolhimento familiar é de extrema relevância para doação, já que muitas vezes, quando o paciente dá entrada no hospital, a família nem sempre compreende o que está acontecendo com seu ente, muito menos, quando é declarada a morte encefálica. Esse é o objetivo da psicologia, o de realizar esse processo de acolhimento familiar e o de auxiliar no processo de racionalização do luto, de morte. Por isso, nosso papel não é a priori ofertar a possibilidade de doação, mas acolher e humanizar o processo de doação de órgãos”, explica Sérgio Santos Siqueira, psicólogo e membro da CIHDOTT do HMC.
 
Se você quer ser um doador, avise a sua família. O passo principal para se tornar um doador de órgãos é conversar com a sua família e deixar bem claro o seu desejo. Não é necessário deixar nada por escrito. A doação de órgãos é uma manifestação de solidariedade mesmo após a vida, ajudando a salvar e melhorar a vida de muitas outras pessoas.

Nova promessa de tratamento eficaz para o vitiligo



Em um estudo multicêntrico conduzido por Henry Lim, os dermatologistas procuraram avaliar a segurança e a eficácia de uma combinação de tratamento de afamelanotide, uma droga que induz a pigmentação da pele, e fototerapia com raios ultravioleta B de banda estreita (UVB NB), já usada como tratamento padrão nesses casos. Embora o grau de pigmentação varie, novo o tratamento se mostrou eficaz tendo como efeito colateral mais comum a vermelhidão da pele. Lim, especialista internacional em vitiligo, disse que o afamelanotide "aumenta a capacidade do raio UVB de induzir a repigmentação da pele." Os pacientes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: grupo A recebeu a terapia combinada; grupo B recebeu apenas tratamento UVB NB. Uma das conclusões foi que a repigmentação ocorreu mais rápido nos pacientes que receberam o tratamento de combinação em comparação com os doentes que receberam somente o UVB NB. - Nossos resultados oferecem a pacientes com vitiligo uma esperança renovada de futuro para o tratamento desta doença desfigurante - diz Henry Lim, principal autor do estudo. - Pacientes com lesões no rosto e braços podem ter uma resposta mais rápida com o tratamento combinado. Dermatologistas do Henry Ford descreveram os resultados da repigmentação como "superiores", e disseram que a combinação de tratamento é promissor como uma futura terapia para os mais de 50 milhões de pessoas no mundo que vivem com vitiligo. Os pacientes que receberam o tratamento combinado alcançaram aparecimento de pigmento em seu rosto e braços após 40 dias em comparação com 60 dias para os pacientes que receberam NB UVB. Além disso, em pacientes de pele escura, a repigmentação também ocorreu mais rapidamente no grupo da combinação em relação ao grupo UVB NB. O afamelanotide está em vias de ser submetido à aprovação dos EUA Food and Drug Administration para uso no tratamento de vitiligo. Vitiligo é uma doença incurável que faz a pele perder a cor e desenvolver manchas brancas que variam em tamanho e localização. Ela desenvolve-se quando as células chamadas melanócitos são eliminadas pelo sistema imunológico do corpo, fazendo com que a área de pele fique branca porque as células não fazem mais o pigmento. A doença é mais perceptível em pessoas com tons de pele mais escuros, mas afeta todas as raças e etnias. Publicidade Para este estudo, 55 pacientes se increveram em quatro locais - Henry Ford, Icahn School of Medicine no Mount Sinai, em Nova York e Vitiligo e pigmentação Institute of Southern California e University of California Davis, Departamento de Dermatologia. Nos dois grupos de estudo, 28 pacientes foram incluídos no grupo A e 27 pacientes no Grupo B. Os dois grupos receberam fototerapia duas a três vezes por semana, durante seis meses, totalizando 72 tratamentos. Além de fototerapia, os pacientes do Grupo A receberam uma dose de 16 mg de afamelanotide em quatro tratamentos mensais. O afamelanotide, aproximadamente do tamanho de um grão de arroz, foi implantado sob a pele. Dois sistemas comuns de avaliação de pontuação do vitiligo - Vitiligo Area Scoring Index e do Grupo de Trabalho Europeu Vitiligo - foram utilizados para avaliar a resposta a repigmentação. 
Fonte: Portal O Globo